• Tag Archives Poesia
  • Lisboa Cidade que Navega

    Lisboa Cidade que Navega «€40.00»

    Javier Campano (Fotografia) – Lisboa Cidade que Navega ( Poesia de Fernando Pessoa, Ricardo Reis & Alberto Caeiro) – Editora – Isabel Pérez. Ediciones de Artes – Espanha – 1998. Desc.[134] pág / 26 cm x 25 cm / E. Ilust.

     

    Resultado de imagem para Javier CampanoJavier Campano – Nasceu em Madrid em 1950. Dedicou-se profissionalmente a Fotografia desde 1975, Realizando Trabalhos para Diferentes Gêneros de Imprensa e Editoras. É Autor de Vários Livros e as suas Fotografias Podem ser Apreciadas em Diferentes Salas e Museus do Mundo.

     

     


  • A Mulher e a Sensibilidade Portuguesa – Antologia

    A Mulher e a Sensibilidade Portuguesa – Antologia «€50.00»

    A Mulher e a Sensibilidade Portuguesa – Antologia Organizada por Ivone Maria Gabriel Pinheiro da Silva – Capa e Ilustração de Gracinda Candeias -Edição do Comissariado Provincial da Mocidade Portuguesa Feminina – Luanda – 1970. Desc.[IX] + [815] pág /


  • Deixai-me Viver

    Deixai-me Viver «€12.50»

    Raquel Vieira Samora Leote – Deixai-me Viver (Poemas) – União Gráfica – Lisboa – 1985. Desc.[62] pág / 21.5 cm x 14,5 cm / Br. Ilust.

     

     

    Raquel Vieira Samora Leote – Nascida em Albufeira (Algarve), em 15 de Setembro de 1908. Autora de um Livro de Poemas Carrocel, em 1984.

    Deixai-me Viver, e o seu segundo livro de Poemas, onde os seus pensamentos em versos simples, são autênticos pinceladas de quadros realistas duma vida misturada de solidão e fé em Deus

     


  • Fonte da Mourela (Póvoa de Meadas)

    Fonte da Mourela (Póvoa de Meadas) «€20.00»

    Jaime Cruz Soares – Fonte da Mourela (Póvoa de Meadas) – Poesia – Edição de Autor – Castelo de Vide / Povoa de Medas – 1997. Desc.[160] pág / 24 cm x 117 cm / Br. [Autografado]

     

     

     

    Jaime Cruz Soares nasceu em Póvoa e Meadas a 13 de Outubro de 1927 (tinha 88 anos), filho de Maria Ana Marques e de Teodorico José Soares. Cursou Engenharia no Porto e viveu diversos anos em Angola onde exerceu a sua atividade profissional. Foi vereador na Câmara Municipal de Castelo de Vide e professor na Escola de São Lourenço e formador no Instituto do Emprego e Formação Profissional de Portalegre. Fundou a loja de ferramentas Rolmac, ao pé do Mercado de Portalegre. Ficou ainda conhecido por ter escrito livros de poesia e sobre Angola e o Caminho de Ferro de Benguela, de que se destacam “Angola – rabiscos de um retornado… : do caminho de Ferro de Benguela”, “A Fonte da Mourela”, “Meu Chão Salgado” e “Folhas Caindo,,, na Serra de São Mamede”, além de diversos trabalhos publicados em Angola.


  • Alma em Farrapos….

    Alma em Farrapos…. «€35.00»

    Augusto Diniz de Souza – Alma em Farrapos…. – Livraria Rodrigues – Lisboa – 1948. Desc.[114] pág / 21 cm x 14 cm / Br.

     

    Resultado de imagem para augusto diniz de sousa - sonetosAugusto Diniz Sousa (Augusto da Conceição Diniz Neves de Sousa), n. 8- XII-1905, na freguesia e conselho de Marinha Grande, distrito de Leiria (Portugal). Professor, poeta, escritor, contabilista e tecnologista diplomado. Sócio administrador das extintas Empresa Corticeira de Portugal, Empresa Resineira do Sul e Sociedade Industrial de Cerâmica. Desempenhou cargos na Caixa Económica de Lisboa e no Contencioso do Montepio Geral. Publicou : “Alma em farrapos. . . ” (sonetos) ; poemas Soldados de Portugal, Violetas, Mensageiros da Pátria, Maria Benedita-bilingue, Hino à Rainha Santa, Florela, Luar, Adeus Amor, Nunca Mais, Sem ti … , Matrimónio. Estrelas sem luz. . . ; e Cântico de Fátima. Conferências genealógicas, etc. Pertence a várias instituições culturais: Instituto Genealógico Brasileiro, Associação de Intercâmbio Cultural (Guiratinga, Mato Grosso), Sociedade Literária da Casa de Humberto de Campos (Carolina, Maranhão), diretor da Sociedade de Língua Portuguesa, etc. Filho de Augusto Ribas das Neves de Sousa, f, e de d. Maria da Conceição da Natividade Diniz (Neves de Sousa).


  • Poemas (ALDA LARA)

    Poemas (ALDA LARA) «€60.00»

    Alda Pires Barreto de Lara de Albuquerque (Alda Lara) – Poemas (Obra Completa) – Imbondeiro / Grafica da Huíla,Lda – Sá da Bandeira – Angola – 1966. Desc.[193] pág / 20 cm x 15 cm / Br. [1.ª Edição]

     

     

    Resultado de imagem para alda laraAlda Ferreira Pires Barreto de Lara Albuquerque, conhecida como Alda Lara (9 de junho de 1930, Benguela, Angola – 30 de janeiro de 1962, Cambambe, Angola), foi uma poetisa portuguesa de origem angolana, que criou uma grande produção poética, publicada apenas após a sua morte, através da recolha dos seus poemas feita pelo seu marido.Nasceu em Benguela, em 1930, sendo irmã do poeta Ernesto Lara Filho. Ainda nova mudou-se para Lisboa onde concluiu o 7º ano do Liceu. Posteriormente, Frequentou as Faculdades de Medicina de Lisboa e depois de Coimbra, onde acabou por se licenciar. Esteve ligada a actividades da Casa dos Estudantes do Império (CEI), sendo uma excelente declamadora, chamando a atenção para os poetas africanos. Alda Lara foi casada com o escritor Orlando Albuquerque. Após a sua morte, a Câmara Municipal de Sá da Bandeira (actual Lubango) instituiu o Prémio Alda Lara de poesia, em sua homenagem. O seu marido, recolheu a sua poesia e publicou postumamente toda a a sua obra