• Category Archives Portos Maritimos
  • Exposição Colonial Portuguesa

    Exposição Colonial Portuguesa
    Exposição Colonial Portuguesa «€130.00»

    Exposição Colonial Portuguesa – C. de Melo Vieira – Colónia de Moçambique – A Agricultura / Colónia de Moçambique – Silvicultura / Colónia de Moçambique – Algodão / Colónia de Moçambique – A Bananeira / Colónia de Moçambique – Cana Sacarina / Colónia de Moçambique – Chá / Colónia de Moçambique – Citrus / Colónia de Moçambique – Coqueiros / Colónia de Moçambique – Sisal / Colónia de Moçambique – Tabaco / Jacinto Pereira Martinho – Colónia de Moçambique – A Caça / Francisco Paulo Menano – Colónia de Moçambique – Correios, Telégrafos e Telefones / A. Da E. Santos Vieira – Colónia de Moçambique – História da Expansão do Domínio Português / A. A. Pereira Cabral – Colónia de Moçambique – Indígenas da Colónia de Moçambique / A. J. de Freitas – Colónia de Moçambique – Notas Sobre a Geologia e Sobre a Industria / Joaquim Jardim Granger – Colónia de Moçambique – Breve Noticia Sobre Estradas, Navegação Fluvial e aérea / Colónia de Moçambique – Colónia de Moçambique – Serviços de Saúde e Higiene / João Botelho – Colónia de Moçambique – Serviços de Veterinária / Cristiano Alfredo Sheppard Cruz – Colónia de Moçambique – Estação Zootécnica de Chobela / A. Dos Santos Figueiredo – Colónia de Moçambique – A Vida Social / F. S. Pinto Teixeira – Colónia de Moçambique – Caminhos-de-ferro e Portos Comerciais – Edição Destinada a Exposição Colonial do Porto de 1934 – Imprensa Nacional de Lourenço Marques – Lourenço Marques – 1934. Desc .40 + 31 + 18 + 10 + 12 + 10 + 20 + 20 + 17 + 11 + 32 + 56 + 13 + 43 + 10 + 44 + 9 + 15 + 29 + 91 pág  / 24 cm x 16 cm / E. Pele


  • Inland & Maritime Waterways & Ports / Operation Section II

    Inland & Maritime Waterways & Ports / Operation Section II
    Inland & Maritime Waterways & Ports / Operation Section II «€100.00»

    Prof. G. Willems, M. Abecassis, M. M. Catena, R. de Paete , Lasson, K. F. Valken, H. Vandervelden – Inland & Maritime Waterways & Ports / Design – Construction – Operation – Section I I- Volume I/V – Permanent International Association of Navigation Congresses 1981 / Pergamon Press – Oxford / New York / Toronto / Sydney / Paris / Frankfurt – 1981. Desc. 969 pág / 30,5 cm x 20,5 cm / E. Ilust.


  • Inland & Maritime Waterways & Ports / Operation Section I

    Inland & Maritime Waterways & Ports
    Inland & Maritime Waterways & Ports «€100.00»

    Prof. G. Willems, M. Abecassis, M. M. Catena, R. de Paete , Lasson, K. F. Valken, H. Vandervelden – Inland & Maritime Waterways & Ports / Design – Construction – Operation – Section I – Volume I/V – Permanent International Association of Navigation Congresses 1981 / Pergamon Press – Oxford / New York / Toronto / Sydney / Paris / Frankfurt – 1981. Desc. 806 pág / 30,5 cm x 20,5 cm / E. Ilust.


  • Boletim da Comissão do Domino Público Marítimo – Vol.º 1 – 1946/1948-19461948

    Boletim da Comissão do Domino Público Marítimo
    Boletim da Comissão do Domino Público Marítimo «€60.00»

    Boletim da Comissão do Domino Público Marítimo – Vol. 1  1946/1948 –  Jurisdição marítima na enseada do Seixal / Apropriação de terrenos do Domínio Público Marítimo pela Câmara Municipal de Lagos / Acessão e exalação artificial dos fundos / Justificação de cousa possuída anteriormente a 1864 – Prorrogação de um arrendamento de terrenos do Domínio Público Marítimo que podem interessar à Defesa Nacional / Esclarecendo dúvidas sobre a situação jurídica de um edifício público na Gibalta (Caxias) / Pedido da Câmara Municipal do Montijo para adquirir uma parcela de terreno do Domínio Público Marítimo /Pedido da Câmara Municipal do Montijo para alargar o arco da ponte, de embarque daquela vila / Projecto de decreto para a desafectação de uma parcela de terreno do Domínio Público Marítimo para alargamento do cais da vila do Montijo / Exploração de uma pedreira de gesso situada na área da jurisdição marítima / Pedido da Comissão de Iniciativa do , Porto para fazer a urbanização dos terrenos marginais (Medões) / Nomeação de uma comissão para fazer a delimitação dos terrenos marginais em frente à estação do caminho-de-ferro de Vila Franca de Xira / Reconhecimento do domínio privado em terrenos da beira-mar em S. José da Guia / Limites da jurisdição da Delegação marítima da Trafaria /Proposta para a nomeação de uma comissão para estudar as reclamações apresentadas pela Junta de Freguesia da Gafanha da Nazaré / Perda da posse e domínio de um prédio situado na faixa do Domínio Público Marítimo, junto à praia do Guincho / Reconhecimento do domínio privado em terreno sitio na faixa do Domínio Público Marítimo, em Vila Franca de Xira / Necessidade de nomear uma comissão para delimitar terrenos salgados e alagadiços no rio de Portimão /Necessidade de nomear uma comissão, para proceder à delimitação da praia do Portinho da Arrábida /Denegação do pedido da Câmara Municipal de Faro para a cedência de terrenos destinados à construção de moradias de rendas económicas / A extracção da areia do Alfeite deve ser limitada às necessidades dos Serviços. Do Estado e mesmo assim soba administração e vigilância da Intendência da Marinha do AIfeite / Sobre a forma diferente porque a Capitania do porto da Póvoa do Varzim e a Câmara Municipal da mesma vila interpretam um parecer da Direcção Geral da Marinha / Sobre uma consulta da Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais para a construção, em terrenos sob a jurisdição do Domínio Público Marítimo, de uns edifícios para Serviços Públicos em Cascais /Sobre a pretensão da Direcção Geral dos Caminhos de Ferro para fazer uma, terraplanagem, destinada à ‘construção de umas tulhas: para carvão, em Vila Real de Santo António / Arrendamento de uma parcela de terreno do Domínio Público Marítimo, para a instalação de uma oficina destinada a produzir óleo de cetáceos ~Praia do Garajau – Ilha da Madeira / Manutenção do nosso parecer n.º 912, de 21 de Julho de 1944, com a suspensão temporária de uma das suas condições, devido ao estado, de guerra / Verificação da legitimidade de posse de um terreno enxuto e declaração de ser livre outro, mas molhado, na Quinta da Palmeira (Paio Pires) / Reconhecimento de propriedade privada na Ponta da Cancela. (Ilha da Madeira) /Autorização, para a Câmara Municipal de Vagos utilizar terrenos do Domínio Público Marítimo, a título de concessão, visto tratar-se da construção de uma estrada de manifesta utilidade (pública) …etc – Ministério da Marinha – Lisboa – 1946/48. Desc. 78 + 35 + 45 + 62 + 59 + 35 + 27 + 40 + 29 + 38 + 27 + 45 pág / 22 cm x 17 cm / E. Tela.


  • Agenda dos Portos de Barlavento do Algarve


  • O Porto de Setúbal

    O Porto de Setúbal
    O Porto de Setúbal «€45.00»

    Eng.º A. de M. Cid Perestrello – O Porto de Setúbal  – Publicado Pela Junta Autónoma das Obras do Porto e Barra de Setúbal e do Rio Sado, Por Ocasião da Inauguração das Obras do Porto – Setúbal – 1934. Desc. 57 pág + 1 Plano Hidrográfico do Porto e Barra de Setúbal + 1 Planta Geral do Porto de Setúbal / 27 cm x 20,5 cm / E. Pele.


  • Dakar Station Service Atlantique

    Dakar Station Service Atlantique
    Dakar Station Service Atlantique «€50.00»

    P. Bourrieres – Dakar Station Service Atlantique – Paris – S/D. Desc. 158 pág + 1 Mapa / 29 cm x 22 cm / E. Ilust.

     

    Da cidade tem se desenvolvido rapidamente, sob a acção dos fluxos migratórios do campo para as cidades e o aumento populacional. Ela aumentou de 400 000 habitantes, em 1970, para 2,6 milhões em 2005. Sua população, em 2011, era de 3 215 255 habitantes, sendo uma das mais populosas da África Ocidental. Como metrópole, abriga metade da população urbana do país. Ocupando apenas 0,28% do território nacional, a região de Dakar possui 550 km², 25% da população nacional e concentra 80% das actividades económicas do país. A cidade sofre com problemas urbanos de grandes metrópoles, como o congestionamento no transporte, desenvolvimento do meio ambiente e infraestrutura, tanto que a fundação de uma nova capital administrativa está sendo considerada desde 2010. Foi um ponto de referência para o mundialmente famoso rali Dakar. A Bienal de Arte Contemporânea da cidade, chamada de Dak’art, contribui para a sua reputação artística internacional. Os bairros antigos da cidade herdaram a infra-estrutura colonial francesa, além de outros pontos como o porto, a estação ferroviária, o palácio presidencial e a catedral de Remembrance Africano, foram adicionados como os mais modernos edifícios da cidade, além da Universidade Cheikh Anta Diop, a Grande Mesquita, a Porta do Terceiro milénio e o Monumento da Renascença Africana.


  • Portos Marítimo – Funchal / Aveiro

  • Puerto de Alicante – Memoria Del Estado y Progresso de Las Obras

    Puerto de Alicante Memoria
    Puerto de Alicante Memoria «€125.00»

    D. Pablo Suarez Sanchez – Puerto de Alicante Memoria – Memoria Del Estado y Progresso de Las Obras 1947 – 1951 – Ministerio de Obras Publicas / Junta de Obras y Servicios Del Puerto de Alicante – Graficas Gutenberg – Alicante – 1952. Desc. 127 pág + 2 Mapas / 32 cm x 22,5 cm / E. Ilust – «Edição Limitada de 500 Exemplares –  n.º 436»